quinta-feira, 23 de junho de 2016

Entrevista: Campanha de Sindicalização 2016 do SINDECC

Campanha de Sindicalização 2016, foi tema do programa do radialista Ivo Sutter no dia 22 de junho de 2016. 




O SINDECC REQUER FISCALIZAÇÃO JUNTO AO MINISTÉRIO DO TRABALHO PARA AMANHÃ, FERIADO DE 24 DE JUNHO.

Amanhã, 24 de junho, feriado de São João, as empresas do comércio atacadista e varejista estabelecidas no centro da cidade e na periferia NÃO poderão determinar prática de jornada de trabalho. Porém, as empresas estabelecidas em todos os Centros de Compras terão a garantia de funcionar desde que tenha enviado comunicado até o dia de ontem (22/06), junto aos sindicatos patronais, SINDECC e ao Ministério do Trabalho.
Dentro das normas legais, atendendo requerimento do SINDECC, amanhã, dia 24, o Ministério do Trabalho estará fiscalizando as lojas do centro da cidade, periferia e Centros de Compras.


Segue abaixo, ofício referente ao pedido de fiscalização para o dia 24 de junho.




HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO DO SINDECC PARA HOJE (23), VÉSPERA DO FERIADO.















O SINDECC informa que hoje, dia 23, véspera de feriado, funcionará das 08h às 13h e só retornaremos nossas atividades na segunda-feira, dia 27.


Atenciosamente,


A Direção do SINDECC

quarta-feira, 22 de junho de 2016

Comerciários de Caruaru, Uni-vos!


O Dirigente Sindical Erivaldo Francisco, convoca a classe comerciária para a Campanha de Sindicalização 2016 do Sindicato dos Comerciários de Caruaru.


Bullying no ambiente de trabalho






























Brincadeiras de mau gosto, apelidos pejorativos, fofocas, tratamento desrespeitoso e práticas humilhantes são algumas atitudes que podem ser caracterizadas como bullying. Esse tipo de violência é mais recorrente em escolas, mas no ambiente de trabalho também acontece e é um pesadelo para muitos empregados. Mas o que pode ser feito para evitar? Como denunciar?

Confira: http://bit.ly/28LFeQu

Fonte: https://www.facebook.com/TSTJus/photos/a.128649670542753.30462.123064837767903/1110952328979144/?type=3&theater

terça-feira, 21 de junho de 2016

HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO DO SINDECC PARA QUINTA-FEIRA, 23, VÉSPERA DO FERIADO.














O SINDECC informa que quinta-feira, dia 23, véspera de feriado, funcionará das 08h às 13h e retornaremos nossas atividades na segunda-feira, dia 27.


Atenciosamente,


A Direção do SINDECC

Amanhã (22/06), às 11h, a Presidente Aline Simão e o Diretor Tesoureiro do SINDECC Erivaldo Francisco serão os entrevistados de Ivo Sutter.
































Os Diretores do SINDECC participarão do programa “Ivo Sutter entrevista” quando, na oportunidade, falarão sobre a posse de Aline Simão, historicamente a primeira mulher a assumir a presidência do sindicato, sobre a Campanha de Sindicalização 2016 e os serviços oferecidos pelo sindicato, dentre eles convênios médicos, projetos sociais que o sindicato vem desenvolvendo junto à classe trabalhadora e o sindicalismo nos dias atuais.

Para ouvir a entrevista você poderá acessar:

www.novafmcaruaru.com.br

Ou, se preferir, sintonizar o rádio FM na frequência 105,9



Departamento de Imprensa do SINDECC 

O SINDECC REQUER FISCALIZAÇÃO JUNTO AO MINISTÉRIO DO TRABALHO PARA O FERIADO DE 24 DE JUNHO.

Sexta-feira, 24 de junho, feriado de São João, as empresas do comércio atacadista e varejista estabelecidas no centro da cidade e na periferia NÃO poderão determinar prática de jornada de trabalho. Porém, as empresas estabelecidas em todos os Centros de Compras terão a garantia de funcionar desde que envie comunicado até quarta-feira, dia 22, junto aos sindicatos patronais, SINDECC e ao Ministério do Trabalho.
Dentro das normas legais, atendendo requerimento do SINDECC, no próximo dia 24, o Ministério do Trabalho estará fiscalizando as lojas do centro da cidade, periferia e Centros de Compras.


Segue abaixo, ofício referente ao pedido de fiscalização no dia 24 de junho junto à MTE.



A Direção do SINDECC



Direito do Trabalho: VALE-TRANSPORTE





























É responsabilidade do empregador provar que o empregado não cumpre os requisitos indispensáveis para a concessão do vale-transporte ou não pretenda fazer uso do benefício.
Fonte: https://www.facebook.com/TSTJus/photos/a.128649670542753.30462.123064837767903/1109431799131197/?type=3&theater

segunda-feira, 20 de junho de 2016

Quarta-feira (22/06), às 11h, a Presidente Aline Simão e o Diretor Tesoureiro do SINDECC Erivaldo Francisco serão os entrevistados de Ivo Sutter.


































Os Diretores do SINDECC participarão do programa “Ivo Sutter entrevista” quando, na oportunidade, falarão sobre a posse de Aline Simão, historicamente a primeira mulher a assumir a presidência do sindicato, sobre a Campanha de Sindicalização 2016 e os serviços oferecidos pelo sindicato, dentre eles convênios médicos, projetos sociais que o sindicato vem desenvolvendo junto à classe trabalhadora e o sindicalismo nos dias atuais.

Para ouvir a entrevista você poderá acessar:

www.novafmcaruaru.com.br

Ou, se preferir, sintonizar o rádio FM na frequência 105,9


Departamento de Imprensa do SINDECC 

O SINDECC REQUER FISCALIZAÇÃO JUNTO AO MINISTÉRIO DO TRABALHO PARA O FERIADO DE 24 DE JUNHO.

Sexta-feira, 24 de junho, feriado de São João, as empresas do comércio atacadista e varejista estabelecidas no centro da cidade e na periferia NÃO poderão determinar prática de jornada de trabalho. Porém, as empresas estabelecidas em todos os Centros de Compras terão a garantia de funcionar desde que envie comunicado até quarta-feira, dia 22, junto aos sindicatos patronais, SINDECC e ao Ministério do Trabalho. 

Dentro das normas legais, atendendo requerimento do SINDECC, no próximo dia 24, o Ministério do Trabalho estará fiscalizando as lojas do centro da cidade, periferia e Centros de Compras.



Segue abaixo, ofício referente ao pedido de fiscalização no dia 24 de junho junto à MTE.






A Direção do SINDECC

Mantida condenação da Ambev por forçar vendedor a comprar produtos para alcançar metas

A Segunda Turma do Tribunal Superior do Trabalho não conheceu de recurso da Companhia de Bebidas das Américas S.A. (Ambev) contra decisão que a condenou a indenizar um vendedor que comprava produtos da empresa para alcançar metas e manter o valor da sua comissão. A indenização corresponde a 10% da remuneração mensal e tem a finalidade de ressarcir os prejuízos do trabalhador causados pela prática, estimulada pelos supervisores.
A conclusão do julgamento atende ao pedido do vendedor na reclamação trabalhista. Ele relatou que a empresa fixava metas para a venda de produtos com vencimento próximo ou quando a demanda era baixa em determinadas áreas. Em caso de descumprimento, o valor da comissão era reduzido, com reflexos nos salários de supervisores e gerentes. Disse ainda que, para evitar as perdas financeiras, os superiores incentivavam a própria equipe a adquirir as mercadorias.
A Ambev negou que exigisse a compra e sustentou que estas ocorriam por livre e espontânea vontade. Na hipótese de condenação, requereu a incidência do percentual somente sobre a quantia descontada do salário para o pagamento de produtos adquiridos ou sua devolução, para evitar enriquecimento ilícito.
O juízo da 19ª Vara do Trabalho de Porto Alegre (RS) julgou improcedente a indenização. Apesar de testemunhas, inclusive da Ambev, confirmarem as alegações do vendedor, a sentença concluiu que as compras não eram obrigatórias e beneficiavam o empregado com o recebimento do "prêmio por objetivo". Segundo a juíza, não se trata de prejuízo causado pela empresa a ponto de motivar a reparação.
No entanto, o Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (RS) reformou a sentença para determinar o pagamento da indenização de 10%, sem nenhum tipo de compensação. Para o TRT, é evidente a necessidade de o empregado adquirir produtos para atender às metas estipuladas e, assim, garantir o recebimento da remuneração integral. Segundo o Regional, tratava-se de uma imposição velada por parte da empresa.
TST
O relator do recurso da Ambev ao TST, ministro José Roberto Freire Pimenta, reafirmou a conclusão do TRT-RS de que a falta de prova contundente sobre a ordem da empresa para a aquisição dos produtos não afasta o direito à indenização, principalmente porque esta lucrava com a conduta. De acordo com o ministro, neste caso, é irrelevante o questionamento sobre a quem caberia fazer a prova, uma vez que a prática ficou evidenciada.
A decisão foi unânime.
(Guilherme Santos/CF)
Processo: ARR-48400-11.2007.5.04.0019
Fonte: 
www.tst.jus.br

sexta-feira, 17 de junho de 2016

Três mil vão às ruas em Brasília em defesa da educação pública

Marcha marcou a abertura do II Encontro Nacional de Educação que acontece na UnB até sábado (18)
II ENE - foto-1
Mais de três mil pessoas, entre estudantes, docentes, técnicos, servidores públicos federais, militantes de movimentos sociais, sindicais e populares foram às ruas de Brasília (DF), nesta quinta-feira (16), para cobrar mais investimento público em educação pública. A marcha “Em Defesa da Educação” marcou a abertura do II Encontro Nacional de Educação (ENE), organizado pelo Comitê Nacional “Em defesa dos 10% do PIB para a Educação Pública, Já!”.
A manifestação teve início no Museu da República, quando aos poucos delegações de diversos estados começavam a se reunir, depois de horas de viagem e abrir suas faixas.
Entre as faixas, a do II ENE, que abriu a manifestação, “contra o ajuste fiscal e a dívida pública e por um projeto classista e democrático para a educação” chamou a atenção dos que passavam pelas ruas de Brasília.
A caminhada, sob sol intenso e céu azul, percorreu a Esplanada dos Ministérios até o Ministério da Educação (MEC).
“Pula sai do chão quem defende a educação” e ainda “A nossa luta é todo dia, educação não é mercadoria” eram apenas algumas das palavras de ordem entoadas durante o protesto.
II ENE-foto-3
Servidores Públicos FederaisA marcha contou também com a participação de representantes do Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (Fonasefe), cujas entidades fizeram um ato em frente ao Manifestação dos SPF em frente ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG).
Composto por diversas categorias de servidores públicos federais, o Fonasefe está em luta contra o Projeto de Lei Complementar (PLP) 257/2016 e demais ataques aos serviços públicos e servidores.
O PLP 257/2016 faz parte do pacote de ajuste fiscal iniciado pelo governo, no final de 2014. As medidas, que buscam manter o pagamento de juros e amortizações da dívida ao sistema financeiro e aumentar a arrecadação da União, atingem diretamente o serviço público e programas sociais.
A suspensão dos concursos públicos, congelamento de salários, não pagamento de progressões e outras vantagens (como gratificações), destruição da previdência social e revisão dos Regimes Jurídicos dos Servidores estão entre as medidas que constam do PLP 257.
Encontro com ato de trabalhadores ruraisA insatisfação dos trabalhadores não se mostrou somente a marcha do II ENE neste dia 16 em Brasília. Em frente ao Ministério da Agricultura uma salva de palmas mútua marcou o encontro com um protesto dos produtores de agricultura familiar contra qualquer retrocesso nos direitos, principalmente a Previdência Social. Organizado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), o ato fazia parte de um Dia Nacional de Luta do Movimento Sindical dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais (MSTTR).
Massacre de indígenas de MS é denunciadoO massacre aos indígenas que vem ocorrendo em Mato Grosso do Sul foi lembrado por diversas entidades.
O Território Indígena de Teyi Jusu, Caarapó (MS) foi alvo de um ataque covarde promovido por fazendeiros da região na última segunda-feira (13) e segue cercado pela polícia. Segundo informações enviadas por lideranças indígenas da região, ainda há três índios desaparecidos e a morte de uma criança de nove anos, esta ainda não confirmada. Um indígena já morreu: Clodiodi Aquileu Rodrigues de Souza, Guarani-Kaiowá de 26 anos. Há pelo menos 10 feridos à bala, inclusive uma criança de doze anos baleada no abdômen.
Entrega de carta ao MECJá no Ministério da Educação e Cultura (MEC) entidades entregaram uma carta endereçada ao ministro interino da Educação Mendonça Filho, entidades do “Comitê Nacional em Defesa dos 10% do PIB para a Educação Pública, Já!” protocolaramdocumento contra os ataques ao ensino público junto ao Ministério da Educação (MEC).
Os representantes do Comitê foram recebidos, na frente do MEC, por Leonel Cunha (subsecretário de assuntos administrativos do Ministério) e Nadia Ferreira (assessora especial do Ministro Moreira Filho). 15 entidades assinam o documento.
II ENE-foto-4
O Ato em Defesa da Educação Pública se encerrou a pós a entrega da carta. Na manhã desta sexta-feira (17) acontece a Mesa de Abertura do II ENE, no campus Darcy Ribeiro da UnB.
Na avaliação das entidades que compõem o Comitê, a marcha cumpriu a primeira grande tarefa do II ENE em Brasília (DF), colocando a força da mobilização de estudantes do ensino básico ao fundamental, docentes e técnicos de todos os níveis de ensino, das esferas municipal, estadual e federal, expressando as várias lutas que vêm ocorrendo em todo o país contra o desmonte da educação pública, unindo diferentes segmentos daqueles que estudam e das categorias que trabalham com educação.

As entidades organizadoras do II ENE são CSP-Conlutas, Andes-SN, Sinasefe, CFESS (Conselho Federal de Serviço Social), Anel (Assembleia Nacional dos Estudantes Livres), Oposição de Esquerda da UNE, Exneef (Executiva Nacional dos Estudantes de Educação Física), Federação Nacional dos Estudantes das Escolas Técnicas (Fenet), Associação Brasileira dos Educadores Marxistas (Abem), Movimento Universidade Popular (MUP), Sepe, Oposição CPERS, Oposição Alternativa Apeoesp, Fasubra, Enesso.
II ENEAs plenárias e debates do II ENE acontecerão nesta sexta e sábado ( 17 e 18), no campus Darcy Ribeiro, da UnB. Organizado pelo Comitê Nacional “Em defesa dos 10% do PIB para Educação Pública, Já” – do qual fazem parte entidades sindicais, movimentos sociais, populares e estudantis – o II ENE irá debater e sistematizar um conjunto de propostas que defendam a educação pública, gratuita, de qualidade, laica e referenciada nos trabalhadores.
A organização do II ENE determinou seis eixos de debate para o encontro: gestão; financiamento; avaliação; trabalho e formação dos trabalhadores e trabalhadoras da educação; acesso e permanência; gênero, sexualidade, orientação sexual e questões étnico-raciais.
Na manhã de sexta (17), acontecerá a mesa de abertura “Por um projeto classista e democrático de educação, contra o Ajuste Fiscal e a Dívida Pública”, no Centro Comunitário da UnB. À tarde e a noite, os participantes se dividirão em grupos de trabalho sobre os seis eixos de debate. Já no sábado (18), pela manhã, acontecerão os painéis temáticos e, à tarde, a plenária final.

Fonte: https://ene2016.org/2016/06/16/tres-mil-vao-as-ruas-em-brasilia-em-defesa-da-educacao-publica/

Estudantes da Letras USP em greve debatem o Manifesto Comunista



























“A história de todas as sociedades até hoje existentes é a história das lutas de classes.” Assim começa o primeiro capítulo do Manifesto Comunista, “Burgueses e Proletários”, escrito por Karl Marx e Friedrich Engels em 1848. Em meio a uma das maiores greves das três Universidades Estaduais Paulistas, estudantes independentes da Letras USP junto com estudantes que militam na FAÍSCA – Anticapitalista e Revolucionária, e que ocupam o seu prédio de ensino desde o dia 11 maio, se debruçam sobre os clássicos do marxismo resgatando a atualidade de suas ideias para a sociedade de nossos dias.
A primeira parte da formação, divida em duas partes, aconteceu na última sexta-feira, mas também se repetiu na terça passada em um horário acessível às pessoas que trabalham, e reuniu cerca de 30 pessoas.
Após assistir os dois primeiros episódios da minissérie “Marx Voltou!” produzida na Argentina pelo PTS, partido irmão do MRT no Brasil, os estudantes discutiram conceitos fundamentais do marxismo, como “o que são classes?”, “o que é luta de classes?”, “o que é a burguesia e o que é o proletariado?”, e como para Marx a história das sociedades modernas era determinada pela luta de classes, ou seja, pelos conflitos entre as classes dominantes e dominadas de uma época por vezes entravam em choque para defender seus interesses antagônicos.
Retomando o texto do Manifesto, os estudantes descobriram que para Marx “Por Burguesia entende-se a classe dos capitalistas modernos, proprietários dos meios de produção social que empregam o trabalho assalariado” e “Por proletariado, a classe dos assalariados modernos que, não tendo meios próprios de produção, são obrigados a vender a sua força de trabalho para sobreviver”.
Analisando a sociedade de nossos dias os estudantes chegaram à conclusão de que essas definições se mantêm, pois as relações de produção e apropriação daquilo que é produzido sem mantem às mesmas desde a época de Marx, apesar de toda a propaganda capitalista que diz que o desenvolvimento tecnológico acabou com as classes como Marx as conheceu. Ou seja, nos nossos dias toda a produção social segue sendo feita de forma coletiva por uma massa de assalariados (proletariado), mas a apropriação de tudo aquilo que é produzido coletivamente segue sendo feita de forma individual unicamente pelos proprietários dos meios de produção (burguesia), que lucram e aumentam o seu capital com o trabalho alheio, como fazem os donos de fábricas e indústrias.
Essa forma de produção e apropriação do que é produzido que Marx analisa em seu Manifesto e que se mantêm em nossos dias é a origem de várias desigualdades sociais existentes em nossa sociedade, e também responsável pelas crises econômicas que de tempos em tempos assolam as nações como hoje ocorre no Brasil.
Em seu Manifesto, Marx e Engels dizem que a burguesia vence as crises “de um lado, pela destruição violenta de grande parte das forças produtivas; de outro, pela conquista de novos mercados e pela exploração mais intensa dos antigos.” E completam “A que leva isso? Ao preparo de crises mais extensas e mais destruidoras e à diminuição dos meios de evita-las”.
Analisando a nossa realidade os estudantes da Letras chegaram à conclusão que estas definições também se mantêm atuais, pois como vemos na crise que atravessa hoje o Brasil, uma resposta que a burguesia encontra para superar a crise econômica é a demissão em massa de trabalhadores, ou seja a destruição forçada de forças produtivas e o aumento do exército de reserva. Também foi analisado como podemos confirmar que a burguesia segue aumentando a exploração dos países periféricos para que estes paguem sua crise, como podemos ver hoje com o imperialismo financiando um golpe institucional no Brasil para derrubar o governo de conciliação de classes do PT, para que os ajustes que o governo petista já prometia aplicar sejam implementados em outra velocidade, cortando ainda mais dos gatos sociais, como saúde e educação, mas sem nunca deixar de pagar a dívida pública.
Após realizado todo o debate, os estudantes marcaram a data de sua próxima reunião para seguir a discussão sobre o Manifesto Comunista, se aprofundando na análise do que é o Estado e a serviço de quem ele trabalha, e qual a alternativa e saída que os trabalhadores podem oferecer, na próxima sexta-feira dia 17, às 14h na sala 103 do prédio Ocupado da Letras USP.
O encontro é aberto à participação de todos, e o link 
para mais informações sobre o evento segue abaixo:https://www.facebook.com/events/1711722672412802/


Fonte: esquerdadiario.com.br

Entenda porque tomar refrigerante faz mal à saúde


Tomar refrigerante faz mal à saúde porque o refrigerante tem componentes que enfraquecem os ossos, cabelos, unhas e dentes.
Além disso, o refrigerante tem muito açúcar que facilita o ganho de peso e contribui para o aparecimento da diabetes. Outro componente encontrado nos refrigerantes é o sal, que favorece a retenção de líquidos, leva ao aumento de peso, barriga estufada e pernas inchadas.
Tomar refrigerante frequentemente pode causar dor de estômago e gerar gases intestinais que causam dor e desconforto abdominal, devido à presença do gás presente na bebida, que faz o corpo produzir ainda mais suco gástrico, aumentando ainda as chances de desenvolver uma gastrite. Veja mais em: Saiba quais são os erros alimentares mais comuns que prejudicam a saúde.
O refrigerante é prejudicial à saúde porque ele é feito a partir de corante caramelo, ácido fosfórico, xarope de milho e contém potássio, que são substâncias que podem levar a problemas renais, hiperatividade e aumenta o risco de câncer.
Quantidade de açúcar em 1 lata de refrigerante


Quantidade de açúcar em 1 lata de refrigerante

Refrigerante não deve ser tomado na gravidez e amamentação

O refrigerante faz mal na gravidez porque causa desconforto abdominal, contribui para o aumento de peso e pode provocar retenção de líquidos.
Além disso, os refrigerantes à base de cola, como a Coca-Cola e a Pepsi, têm cafeína, que durante a gravidez não pode ultrapassar 200 mg por dia. Se a grávida tomar 2 xícaras de café em um dia, já não pode ingerir mais cafeína. Porém, uma lata de refrigerante tem cerca de 29 mg de cafeína e não ultrapassa a quantidade de cafeína permitida durante a gestação.
Os refrigerantes que têm cafeína também não devem ser bebidos durante a amamentação porque a cafeína passa para o leite materno e pode provocar insônia no bebê.
Alem disso, o refrigerante faz mal para o bebê, pois pode dificultar o desenvolvimento físico e mental, assim como facilitar o aparecimento de doenças como a obesidade e a diabetes. Os refrigerantes devem ser excluídos da alimentação do bebê, podendo-se optar por sucos de fruta, além da água, para uma ingestão de líquidos adequada. Veja também: 5 motivos para não dar refrigerante para o seu filho.
Fonte: http://www.tuasaude.com/refrigerante-faz-mal/

DANO MORAL É CONCEDIDO A TRABALHADOR QUE PERDEU O DEDO DEPOIS DA JORNADA.




























A Indústria de Lustres Chic Ltda., de Belo Horizonte (MG), foi condenada a pagar indenização de R$ 25 mil por dano moral a um empregado que teve o dedo médio da mão direita amputado em decorrência de um acidente sofrido numa máquina de compactar chapas de aço, após o expediente de trabalho. A empresa queria trazer a discussão da condenação ao TST, mas a Sétima Turma do Tribunal Superior do Trabalho negou provimento ao seu agravo de instrumento.
O juízo do primeiro grau havia indeferido a indenização por considerar que o trabalhador não estava a serviços do empregador no momento do acidente, ocorrido por volta de 19 horas, quando já havia terminado a sua jornada e aguardava a saída de um colega de outro local. O Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região (MG), porém, entendeu que acidente ocorreu por descuido e negligência do empregador, que não adotou procedimentos para diminuir riscos, "inclusive, porque não impediu que o seu empregado permanecesse no seu estabelecimento, após o horário de trabalho, manuseando equipamentos sabidamente perigosos", para os quais não tinha treinamento.
A empresa interpôs agravo de instrumento ao TST alegando que o empregado não tinha autorização para manusear o equipamento após o encerramento do horário de trabalho e ainda em local diverso do setor em que trabalhava. O relator do agravo, ministro Cláudio Brandão, salientou a conclusão do Tribunal Regional de que a empresa não observou a Norma Regulamentadora 12, do Ministério do Trabalho e Previdência Social, que dispõe que "nas áreas de trabalho com máquinas e equipamentos devem permanecer apenas o operador e as pessoas autorizadas".
Ele destacou também o entendimento regional de que, ainda que não estivesse mais trabalhando, o empregado estava sob a responsabilidade da empresa, pois permaneceu dentro do seu estabelecimento, devendo o empregador "ao menos zelar" para que "não manuseasse aparelhos perigosos", mesmo "porque havia um supervisor que fiscalizava a operação nessas máquinas". Para o Regional, sequer houve culpa concorrente, mas culpa grave da empresa, que deve responder pelos danos eventualmente suportados pelo trabalhador.
Concluindo que ficou evidenciado o dano e a conduta culposa da empresa e o nexo causal entre ambos, o relator afirmou que deve ser mantida a condenação. A decisão foi maioria, vencido o ministro Douglas Alencar Rodrigues.
(Mário Correia/CF)
Processo: AIRR-150800-11.2008.5.03.0015

Fonte: 
http://www.tst.jus.br/

quinta-feira, 16 de junho de 2016

Direito do Trabalho: FGTS





































Fique atento aos seus direitos! A legislação que rege o FGTS prevê que todos os empregadores ficam obrigados a depositar, até o dia 7 de cada mês, em conta bancária vinculada, 8% da remuneração paga ou devida, no mês anterior, a cada trabalhador, inclusive o 13º salário.

Fonte: 
https://www.facebook.com/CSJToficial/photos/a.216607375021960.69145.216339151715449/1358968017452551/?type=3&theater

Novo sistema que dificultava saque do seguro-desemprego vai mudar


O sistema eletrônico para conceder o seguro-desemprego mudou desde à última segunda-feira (13). Noventa mil trabalhadores estavam impedidos de sacar o seguro desemprego por causa desse sistema.


Quem teve problemas para sacar o seguro-desemprego desde o dia 20 de abril, a partir do dia 13 vai ter esses pedidos reprocessados e liberados de forma automática. E essas pessoas não vão precisar nem abrir recurso para poder fazer isso.

Mais ou menos 90 mil pessoas que perderam os empregos os últimos meses enfrentaram esses problemas. Em alguns casos o sistema eletrônico até informava que, mesmo depois de perder o emprego, a pessoa continuava com vínculo empregatício. E quem tentava chegar a um dos postos do Ministério do Trabalho para agendar atendimento só conseguia esse atendimento para cinco meses depois. Em alguns casos, também, o atendimento só vinha em outras cidades.

Agora, a expectativa com essas novas regras é que tudo seja facilitado e que essas pessoas já consigam 75% desses recursos liberados.

Com informações: fecosul.com.br

quarta-feira, 15 de junho de 2016

Um milhão de pessoas em Paris, uma manifestação gigantesca

A nova jornada de mobilização contra a reforma trabalhista foi totalmente um sucesso. A marcha esteve composta por setores autonomistas, de estudantes, de trabalhadores organizados contra a reforma trabalhista, com enormes blocos das centrais sindicais, CGT e FO. A manifestação foi reprimida pela polícia e por seus jatos d’água.

O clima na manifestação parisiense foi de luta, certamente a maior em três meses de mobilização contra a reforma trabalhista.Antes do aumento da repressão...

A marcha se estendeu por quilômetros com dezenas de milhares de pessoas. Dentre eles, os grevistas ferroviários, trabalhadores dos correios, estudantes, os setores autonomistas, da educação nacional, trabalhadores sociais, coletivos de desempregados e trabalhadores precarizados, e muitos manifestantes se somaram nos blocos combativos.


A marcha avançou de maneira lenta, extremamente lenta, retida pela presença policial. À altura do metrô Vavin, aconteceram os primeiros incidentes na linha de frente da marcha, onde a polícia lançou gases e balas de borracha. Entre os feridos, dois manifestantes caíram no chão e tiveram que ser atendidos. Uns minutos mais tarde, no nível do metrô Duroc, antes da manifestação chegar ao seu destino final, a polícia utilizou seus carros com jatos d’água contra os manifestantes.

Ainda que nunca os tivesse utilizado em Paris desde o começo do movimento, os canhões de água, com balas de borracha e gases lacrimogêneos haviam sido utilizados nas cidades de Nantes e Rennes, como parte do arsenal de guerra habitual contra as manifestações. Pela tarde, os títulos dos principais jornais diziam “desordens e enfrentamentos” – o duplo assassinato de Magnanville não deu muito espaço para cobrir os protestos – os jornalistas apareciam raríssimas vezes.

...Os gigantescos blocos das centrais sindicais
Em efeito, quando os manifestantes chegaram até a Place d’Italie, a marcha ainda continuava. Os blocos das centrais sindicais CGT e FO marchavam radicalizados e combativos e continuaram com a manifestação apesar das feridas, dos gases lacrimogêneos e jatos d’água.
A densidade de pessoas foi impressionante. Na imensa onda vermelha da CGT e da FO, se distinguiram as tradicionais marchas de trabalhadores ferroviários, os condutores, trabalhadores da limpeza, dos hospitais , da metalurgia, das indústrias de automóvel, como Renault, entre outros.



Entretanto o que mais marcou foi os portuários que vieram de todas as partes da França. Em um ambiente estridente eles marcharam em massa. O trabalhador portuário da CGT da cidade de Bordeaux, F., assegurou que “em Bordeaux, 99% dos portuários estão em greve”, e que são vários milhares - “cerca de 8000 portuários” segundo ele – pelas ruas de Paris, também vieram das cidades de Marselha, de Havre e de Lille.
“Se o movimento estivesse caindo, nós não estaríamos aqui”
Para muitos, a consigna não mudou: mobilização até a retirada da reforma trabalhista. “Martínez pode ir e negociar, porém seguiremos mobilizados” afirmou um funcionário público filiado a CGT. “Se o movimento estivesse caindo, nós não estaríamos aqui”, L. trabalhador aposentado da metalurgia, com seus 85 anos não tem medo de lutar na manifestação: “Eu sei por que estou me manifestando hoje. Os despedidos, eu já vivenciei isso”.
H., enfermeira de um hospital parisiense, diz que está também determinada: “As condições de trabalho (no hospital) são horríveis e exaustivos. Quando chego a casa, cansada, me resta a família para cuidar. Ainda, apesar de tudo isso, vamos continuar manifestando, determinados a fazer o governo recuar”. Ao mesmo lado a determinação persiste, X., trabalhador ferroviário da empresa Sud-Rail Assure, “viemos reforçar a greve nessa manhã e nos comprometer em continuar nos dias que virão”.
Não somente a manifestação é gigantesca, mas a combatividade é geral.
Ela se exprime igualmente pela grande criatividade, pelos cartazes, bandeiras e palavras de ordem que estão todas dentro da originalidade a serviço da luta, incluindo os mais excêntricos.
Não há certeza, ao contrário do que diz Martinez, que setores mobilizados contra a reforma trabalhista estão dispostos a fazer concessões em relação ao Euro. Tanto é assim que, se ele estivesse preparando a saída do movimento através das seções da CGT, seria desafiado pela enorme popularidade da mobilização contra a lei trabalhista, incluindo três meses das primeiras mobilizações que viu o seu nascimento.
Às 18h, na altura da Rua Invalides, assim que a manifestação chegava ao seu fim, os manifestantes se depararam com uma violência extrema: canhões com jatos d’água, esquadrões da BAC (Brigadas Anti-Crime) e gases lacrimogêneos. Isso está se tornando habitual, porém não impede o sentimento de medo e choque frente à presença da polícia. Na última contagem, havia 26 feridos e dezenas de prisão.
Tradução: Artur Lins

Fonte: http://www.esquerdadiario.com.br/Um-milhao-de-pessoas-em-Paris-uma-manifestacao-gigantesca

CAMPANHA DE SINDICALIZAÇÃO 2016



























Documentos necessários para fazer a carteira de sócio do SINDECC:

- RG
- CPF
- CTPS (Carteira de Trabalho)
- Comprovante de Residência
- 2 foto 3x4

Observação: trazer os originais

Informações:

Fones: 81.3721.2894 - 99937.6674

Empresa que não reintegrou gestante é condenada por dano moral em Minas Gerais


Fonte: TRT3
Uma trabalhadora que estava grávida quando foi dispensada conseguiu obter na Justiça do Trabalho o direito ao recebimento de uma indenização por dano moral no valor de R$ 7 mil. Isto porque a ré não a reintegrou ao emprego depois de tomar conhecimento da gravidez. Na visão da juíza substituta Daniele Cristine Morello Brendolan Maia, que julgou o caso na 1ª Vara do Trabalho de Belo Horizonte, a conduta da empresa ofendeu valores humanos da reclamante e seu filho.
As provas revelaram que a reclamante foi contratada em 22/04/2014, mediante contrato de experiência de 30 dias, com rescisão operada em 21/05/2014. Exames médicos apresentados provaram que ela já estava grávida nesse mês. "Não há dúvidas de que a reclamante estava grávida quando ainda estava com o contrato de experiência ativo", concluiu a julgadora.
A magistrada também constatou, por meio de cópia de e-mail, que a reclamante comunicou a gravidez à empresa em 03/06/2014, data em que fez exame de laboratório. Segundo observou na sentença, mesmo que não houvesse essa comunicação, ela teria direito à reintegração ou eventual indenização, desde que tivesse buscado receber seus direitos a tempo. Nesse sentido, foi destacado que a Súmula nº 244 do TST sedimentou o entendimento de que o desconhecimento do estado gravídico pelo empregador não afasta o direito ao pagamento da indenização decorrente da estabilidade. O artigo 10, II, b, do ADCT também foi lembrado na decisão, especificando o direito à estabilidade da empregada gestante, desde a confirmação da gravidez até cinco meses após o parto, como uma proteção à maternidade, tratando-se inclusive de proteção objetiva.
Diante desse contexto, a juíza reconheceu que a trabalhadora, estando grávida com o contrato ativo, inclusive de experiência, teria direito a ser reintegrada. Mas, no caso, ficou demonstrado que a ré não reintegrou a trabalhadora, mas sim a recontratou em 11/11/2014. Não houve pagamento de valores devidos a título de salário e demais verbas, desde a extinção do contrato até a data em que retornou ao trabalho, de modo a dar continuidade ao contrato. A sentença apontou que a reclamante ingressou com a ação em outubro de 2014, dentro do período da estabilidade.
"Desta forma, torno nula a rescisão do contrato de experiência e nulo o novo contrato firmado com a reclamante, declarando sua reintegração no lugar da recontratação, com continuidade do contrato anterior, neste caso convertido a contrato de trabalho por prazo indeterminado, já que houve vontade da reclamada, neste sentido, quando efetivou a nova contratação sob esta modalidade contratual", decidiu a julgadora, condenando a ré a corrigir a carteira de trabalho e a pagar os salários devidos desde 22/05/2014 a 10/11/2014, bem como férias e 13º salário proporcionais e recolhimento do FGTS do período. A estabilidade provisória foi estendida até junho de 2015, considerando que a data provável para o parto seria janeiro de 2015. No entanto, a magistrada considerou válido o pedido de demissão formulado pela reclamante antes desse período.
Além disso, a ré foi condenada ao pagamento de reparação por dano moral. "Ciente de que a CRFB dispõe a respeito da estabilidade da gestante, benefício que tem por finalidade proporcionar um período tranquilo para a mãe que aguarda a chegada do filho, com condições de se cuidar e se preparar, além de conseguir suprir as necessidades do bebê nos primeiros meses de vida, não pode ser vista com o desinteresse evidenciado pela reclamada, sob pena de vilipendiar direito fundamental do trabalhador", ponderou, ao considerar a indenização por dano moral plenamente cabível no caso, com base na legislação que regula a matéria. Houve recurso, mas a decisão foi mantida pelo TRT de Minas Gerais.
Fonte: http://www.csjt.jus.br/inicio?p_p_id=62_INSTANCE_7TfW&p_p_lifecycle=0&p_p_state=maximized&p_p_mode=view&p_p_col_id=_118_INSTANCE_X3rd__column-1&p_p_col_pos=1&p_p_col_count=3&_62_INSTANCE_7TfW_struts_action=/journal_articles/view&_62_INSTANCE_7TfW_groupId=990681&_62_INSTANCE_7TfW_articleId=4962212&_62_INSTANCE_7TfW_version=1.0


terça-feira, 14 de junho de 2016

CONVÊNIOS MÉDICOS PARA ASSOCIADOS E DEPENDENTES DO SINDECC

Em entrevista concedida ao Radialista Paulo Cesar Carvalhal da Rádio Provisão 107,1 FM de Caruaru, Aline Simão, presidente do SINDECC, fala dos convênios médicos oferecidos pelo SINDECC para os associados e dependentes.



SINDECC: SERVIÇOS OFERECIDOS À CATEGORIA

Confira a entrevista do Diretor (Tesoureiro) do SINDECC, Erivaldo Francisco, sobre os serviços oferecidos à categoria comerciária de Caruaru.




SEMANA DE PROVA... E AGORA, ESTAGIÁRIO?




























 Nos períodos de avaliação, a instituição de ensino deverá comunicar à parte concedente do estágio, no início do período letivo, as datas de realização de avaliações escolares ou acadêmicas.

Fonte: 
https://www.facebook.com/TSTJus/photos/a.128649670542753.30462.123064837767903/1104461222961588/?type=3&theater

segunda-feira, 13 de junho de 2016

ALINE SIMÃO FALA DOS CONVÊNIOS MÉDICOS DO SINDECC

Confira a entrevista da Presidente do SINDECC, Aline Simão, sobre mais um serviço disponibilizado para os comerciários de Caruaru.



COMPENSAÇÃO DE JORNADA




























A CLT prevê em seu artigo 60 que nas atividades insalubres, assim consideradas as constantes dos quadros mencionados no capítulo "Da Segurança e da Medicina do Trabalho", ou que neles venham a ser incluídas por ato do ministro do trabalho, quaisquer prorrogações só poderão ser acordadas mediante licença prévia das autoridades competentes em matéria de higiene do trabalho, as quais, para esse efeito, procederão aos necessários exames locais e à verificação dos métodos e processos de trabalho, quer diretamente, quer por intermédio de autoridades sanitárias federais, estaduais e municipais, com quem entrarão em entendimento para tal fim.

Fonte: https://www.facebook.com/TSTJus/photos/a.128649670542753.30462.123064837767903/1102153986525645/?type=3&theater

sexta-feira, 10 de junho de 2016

CONVÊNIOS MÉDICOS DO SINDECC
















O SINDECC disponibiliza para os comerciários associados e seus dependentes, descontos nas consultas médicas. Documentos necessários para fazer a carteira de sócio do SINDECC: - RG - CPF - CTPS (Carteira de Trabalho) - Comprovante de Residência - 2 foto 3x4 Observação: trazer os originais Informações: Fones: 81.3721.2894 - 99937.6674 Sede Provisória: Rua Mestre Pedro, 31 Nossa Senhora das Dores - Caruaru - PE CEP 55.002-380 Atendemos das 08h às 18h, de segunda à sexta e nos sábados, das 09h às 13h. SEJA VOCÊ TAMBÉM, SÓCIO DO SEU SINDICATO! Confira a lista de médicos e das clinicas. · ACUPUNTURA DRA. AUDENORA BEZERRA RUA SILVINO MÂCEDO, 130, MAURÍCIO DE NASSAU. (81) 3719-6551 DR. THIAGO MORGAN MOTA AV. DOM BOSCO, 125, MAURÍCIO DE NASSAU (PROX. AO COLÉGIO ESTADUAL) 99916-4270 OU 99916-4271. · ANGIOLOGIA DR. JOSÉ MILTON VITAL DE BRITO AV. AGAMENON MAGALHÃES, 1221, MAURÍCIO DE NASSAU. (81) 3721-9160 DR. PAULO ROMERO MACIEL Rua RODRIGUES DE ABREU, 203, MAURÍCIO DE NASSAU. (81) 3721-5666 · CARDIOLOGIA DR. IDA MARIA SANTOS GUERRA CENTRO MÉDICO DO AGRESTE, 3°ANDAR, RUA ARTHUR ANTÔNIO DA SILVA, 625, UNIVERSITÁRIO (81) 3721-8854 DR. ANDERSON CARLOS ALMEIDA EMPRESARIAL DIFUSORA, 8° ANDAR, AV. PEDRO JORDÃO, 333, MAURÍCIO DE NASSAU. (81) 2103-4566 – 3095-4801 – 3723-5873 – 99947-7341 DR. JOSIEDSON PONTES FARIAS RUA EQUATORIAL, 39, MAURÍCIO DE NASSAU. (81) 3721-7697 DR. JOSÉ ALVES DE OLIVEIRA RUA AGAMENON MAGALHÃES, 555, MAURÍCIO DE NASSAU. (81) 3721-3113 DR. JOSÉ CARLOS FERREIRA DA SILVA AV. RODRIGUES DE ABREU, 22, MAURÍCIO DE NASSAU. (81) 3721-6458 · CLÍNICA GERAL DR. IDA MARIA SANTOS GUERRA CENTRO MÉDICO DO AGRESTE, 3°ANDAR, RUA ARTHUR ANTÔNIO DA SILVA, 625, UNIVERSITÁRIO. (81) 3721-8854 · DERMATOLOGIA DR. ALEJANDRO ERNESTO DE PAULA RUIZ AV. AGAMENON MAGALHÃES, 1209, 1° ANDAR, MAURÍCIO DE NASSAU (81) 3721-8918 DR. MARIA DO CARMO LISBOA AV. AGAMENON MAGALHÃES, 1036, 2° ANDAR, CENTRO MÉDICO RENAN VILAR (81) 3723-8924 · ENDOSCOPIA DIGESTIVA DR. PAULO ROMERO MACIEL Rua RODRIGUES DE ABREU, 203, MAURÍCIO DE NASSAU. (81) 3722-5566 DR. CICERO ELIAS CLÍNICA SANTA MADALENA PRAÇA SÃO FRANCISCO, 15-B, SÃO FRANCISCO. (81) 3727-4329 · FISIOTERAPIA DR. THIAGO MORGAN MOTA AV. DOM BOSCO, 125, PRÓX. AO COLÉGIO ESTADUAL MAURÍCIO DE NASSAU (81) 99946-4270 99946-4271 DR. CARLOS VINÍCIUS BEZERRA DUARTE RUA NOSSA SENHORA DE FÁTIMA, 381, MAURÍCIO DE NASSAU (81) 3721-1370 PRÓX. A PRAÇA CHICO PORTO EM FRENTE À IMAGEM DA SANTA DR. JOSÉ GALDÊNIO DE LIMA FERNANDES (ESPECIALIDADE RPG) Rua NOSSA SENHORA DE FÁTIMA, 381. MAURÍCIO DE NASSAU (81) 3721-1370 PRÓX. A PRAÇA CHICO PORTO EM FRENTE À IMAGEM DA SANTA · GINECOLOGIA DR. SANDRA VALÉRIA LUCENA R. WALFRIDO NUNES, 303 SALA, 203. MAURÍCIO DE NASSAU (81) 3721-4448 DR. SHIRLEY MAGALY MACIEL (CIAN) AV. PROF. JOSÉ LEÃO, 270, MAURÍCIO DE NASSAU. (81) 3721-1599 DR. LIBELINA MOTTA SIMPLÍCIO AV. PEDRO JORDÃO, 855 CLÍNICA BARTOLOMEU MOTA MAURÍCIO DE NASSAU (81) 3721-1426 DR. VALCARLA TORRES CLÍNICA SÃO LUCAS, Rua RODRIGUES DE ABREU, 102, MAURÍCIO DE NASSAU (81) 3723-7962 DR. FLÁVIO GURGEL CENTRO MÉDICO DO AGRESTE Rua ARTHUR ANTÔNIO DA SILVA, 625, 4° ANDAR, UNIVERSITÁRIO (81) 3722-2978 DR. Fernando Antônio Rua Nossa Senhora de Fátima, 43, Mauricio de Nassau (81) 2103.1944 DR.OSMAR M. DE ALMEIDA. AV.PROF. JOSÉ LEÃO, 270- CIAN. MAURÍCIO DE NASSAU (81) 3721-1599 · IMPLANTODONTIA DR. ROSE TATIANE PATRIOTA Rua MARCIONILO FRANCISCO DA SILVA, 180. MAURÍCIO DE NASSAU (81) 3722-2227 · NUTRIÇÃO DRA. MONÁZIA SANTOS DIAS DA SILVA CLÍNICA SILOE (81) 2104-1200 / 99132-6648 DR. FRANSILVÂNIO ALMEIDA DE BARROS Rua PARNAÍBA, 99 MAURÍCIO DE NASSAU (81) 99959-9128 / 99411-8218 · ODONTOLOGIA DR. JÔNATAS CAVALCANTE MOURA FERREIRA PRAÇA LEOCÁDIO PORTO, 31 1° ANDAR SALA 107. CENTRO (81) 3137-6371 DR. PEDRO CAIO ALVES Rua PORTO ALEGRE 101 CENTRO (81) 9381-1487/9506-3838/3045-0080 DR.THIAGO MACÁRIO R. CURSINO, 753 MAURÍCIO DE NASSAU (81) 3721-6699 DR. CLAÚDIA SANTOS MACÁRIO (ESPECIALIDADE HÁLITOSE) Rua JOÃO CURSINO, 753 MAURÍCIO DE NASSAU (81) 3721-6699 DR. DANIELLA CRISTINA COSTA DE OLIVEIRA Rua FLORIANO PEIXOTO, 209 CENTRO (81) 3045-4435 DR. VALTER SOUZA Rua RIACHUELO, 159 MAURÍCIO DE NASSAU (81) 3095-0848 DR. ELIANA TAVARES PORTO (ESPECIALIDADE APARELHO) Rua NOSSA SENHORA DE FÁTIMA 360 MAURÍCIO DE NASSAU. (81) 3721-7910 DR. CARLOS KLEBER TABOSA Rua MAJOR SINVAL, 94 CENTRO. (81) 3721-2838 (POR TRAZ DA CATEDRAL) DR. AGNALDO PLÁCIDO Rua JOÃO CURSINO, 753 MAURÍCIO DE NASSAU (81) 3721-6699 · OFTALMOLOGIA DRA. ANA NERY RAMOS CINTRA CLÍNICA SÃO JOSÉ Rua PARANAÍBA, 171, DIVINÓPOLIS PRÓX. A SANTA EFIGÊNIA (81) 3723-3330 DRA. VERÔNICA SANTIAGO Rua DEP. SOUTO FILHO, 108 MAURÍCIO DE NASSAU PRÓX. AO COLÉGIO DIOCESANO (81) 3721-1578 DR. PAULO FERNANDO CLÍNICA SÃO LUCAS, Rua RODRIGUES DE ABREU, 102, MAURÍCIO DE NASSAU (81) 3721-6274 DR. MELLO MOTTA Rua VISCONDE DE INHÚMA, 1361, MAURÍCIO DE NASSAU (81) 3721-0775 DR. MARIA DE FÁTIMA AV. RIO BRANCO, 144, CENTRO (81) 3721-8690 DRA. NADJA CALDAS E DR. JOÃO CALDAS (IOC) Rua WALFRIDO NUNES, 303, MAURÍCIO DE NASSAU (81) 2103-3333 · ORTOPEDIA DR. BARTOLOMEU MOTA AV. DR. PEDRO JORDÃO, 855 MAURÍCIO DE NASSAU. (81) 3721-1426 · OTORRINOLARINGOLOGIA DR. ANDERSON MORAIS Rua EQUATORIAL, 30 MAURÍCIO DE NASSAU (81) 3721-1806 DR. MARIA DE FÁTIMA AV. RIO BRANCO 144 CENTRO (81) 3721-8690 DR. VALMIR MACÁRIO Rua JOÃO CURSINO 753 MAURÍCIO DE NASSAU (81) 3721-1306 DR.TEREZA MARQUES Rua NOSSA SENHORA DE FÁTIMA 98 MAURÍCIO DE NASSAU (81) 3095-0142 DR. KLEBER NASCIMENTO CLÍNICA BARTOLOMEU MOTA AV. PEDRO JORDÃO, 855 (81) 3721-1426 MAURÍCIO DE NASSAU · PEDIATRIA DR. CAROLINE CAVALCANTE GONÇALVES AV. PROF. JOSÉ LEÃO, 383 MAURÍCIO DE NASSAU. (81) 3721-0239 DR. MARIA DE LOURDES AV. PROF. JOSÉ LEÃO, 383, MAURÍCIO DE NASSAU. (81) 3721-0239 DR. AUREA SOARES TERTULIANO Rua WALFRIDO NUNES, 303, MAURÍCIO DE NASSAU (81) 3722-1717 · PILATES DR. LAIS CRISTHINNE SABINO GONDIM Rua NOSSA SENHORA DE FÁTIMA, 71, MAURÍCIO DE NASSAU. ZENTER LIFE (81) 3046-6901/ 99588-8368 CARLOS VINÍCIUS BEZERRA DUARTE Rua NOSSA SENHORA DE FÁTIMA, 381, MAURÍCIO DE NASSAU. (81)3721-1370 PRÓXIMO DA PRAÇA CHICO PORTO EM FRENTE À IMAGEM DA SANTA. · PNEUMATOLOGIA DR. ERALDO SIMÕES CLÍNICA SÃO LUCAS Rua RODRIGUES DE ABREU, 102, MAURÍCIO DE NASSAU (81) 3723-7962 DR. AMADEU CLÍNICA JOSÉ AMADEU Rua 1° DE MAIO, 63, CENTRO (81) 3721-7336 PRÓX. A IGREJA DO ROSÁRIO · PROCTOLOGIA DR. JOSÉ MILTON VITAL AV. AGAMENON MAGALHÃES, 1221, MAURÍCIO DE NASSAU (81) 3721-9160 · PSICOLOGIA CENTRO DE PSICOLOGIA ZENAIDE MOTA SILVEIRA Rua LUIS DE CAMÕES, 493, MAURÍCIO DE NASSAU (81) 3723-5674 DR. ANA CLAUDIA SALES FERRAZ Rua PARNAÍBA ,99, 1° ANDAR, MAURÍCIO DE NASSAU (81) 99319-4411 DR. AUDENORA BEZERRA DE MELO Rua SILVINO MACÊDO, 130, MAURÍCIO DE NASSAU (81) 3719-6551 · Urologia CLÍNICA UROAGRESTE DR. JOÃO ALEIXO DR. ROBERTO SANTOS DR. EVANDILSON GUENS DR. HUDE LUCENA DR. SILVIO MOURA Rua SALDANHA MARINHO, 535, MAURÍCIO DE NASSAU. (81) 3721-7506 · CLÍNICAS CLÍNICA SANTA MADALENA PRAÇA FRANCISCO, 15-B, (81) 3727-4329, SÃO FRANCISCO, CARUARU/PE CLÍNICA BARTOLOMEU MOTA AV. DR. PEDRO JORDÃO, 855, MAURÍCIO DE NASSAU CARUARU/PE (81) 3721-1426/99740-1166/3045-1360 CLÍNICA VIDA E SAÚDE RUA BARTOLOMEU DE ANACLETO, 461, BAIRRO – SALGADO – CARUARU (81) 3724-1760 - TIM - (81) 9.9795-5296 - VIVO - (81) 8279-2830 - CLARO - (81) 9.9217-4323 FARMÁCIA DE MANUPULAÇÃO A FÓRMULA AV. MANOEL DE FREITAS, 74. CENTRO (81) 3721-7176 . LABORATÓRIOS AMESP Rua DEP. SOUTO FILHO, 52 MAURÍCIO DE NASSAU. (81) 3721-7181 CECILIANO FERREIRA Rua BARÃO DO PORTO SEGURO, 127 MAURÍCIO DE NASSAU. (81) 9427-6427 LUIS ALBERTO FLÔRENCIO AV. AGAMENON MAGALHÃES, 834 MAURÍCIO DE NASSAU (81) 3721-6721 LABOC Rua BELMIRO PEREIRA, 282, MAURÍCIO DE NASSAU (81) 3721-0948 LAAF Rua OSVALDO CRUZ, 312, MAURÍCIO DE NASSAU (81) 3721-0234 CLAMED CLÍNICA BARTOLOMEU Rua DR. PEDRO JORDÃO, 855, MAURÍCIO DE NASSAU (81) 3721-1426/99740-1166 · ULTRASSONOGRAFIA BARROS E CALAZANS CENTRO DIAGNÓSTICOS LTDA Rua TROPICAL, 94, VIZINHO ONDE FUNCIONAVA A UROAGRESTE – OBS: NA MESMA RUA AO LADO DO SUPERMERCADO VERDÃO (81) 3723-4339 DR. MANOEL FLÔRENCIO AV. AGAMENON MAGALHÃES, 834, MAURÍCIO DE NASSAU. CARUARU/PE (81) 3727-7000 UNIMAGEM (ULTRASSONOGRAFIA E RAIO-X) Rua RODRIGUES DE ABREU, 511, MAURÍCIO DE NASSAU CARUARU/PE (81) 3722-8850